You Are Here: Home » Editorias » Teatro » A relação de pais e filhos

A relação de pais e filhos

Por Renniê Paro

Quem é que nunca teve problemas com seus pais ou seus filhos que atire a primeira pedra. Ou então quando simplesmente não entendemos certas atitudes de nossos pais, como questionamos suas atitudes e como somos propensos a julgá-los.

Esse é o roteiro do espetáculo Três Dias de Chuva, escrita em 1997 pelo norte-americano Richard Greenberg, que chega pela primeira vez aos palcos brasileiros. O transtorno familiar tem inicio com a partilha da herança deixada pelo pai, que levanta dúvidas sobre a razão do bem mais valioso não ficar para Walker (Otávio Martins) e Anna (Carolina Ferraz), mas sim para o filho do sócio, Pip, representado por Petrônio Gontijo.

priscila-prade-20

A trama retrata a relação do pai com seus filhos, com a revelação de segredos que são contados em dois atos: o primeiro em 1995 e o segundo em 1960. No primeiro ato, Walker e Anna se encontram para a leitura do testamento do pai, um arquiteto. Quando descobrem o destino da herança mais valiosa, os irmãos discutem e julgam o passado do pai, acusando-o de ser ausente em suas vidas.

A controvérsia leva a peça para o segundo ato, quando os filhos assumem o papel dos pais ainda jovens. As cenas mostram o mistério que envolve o arquiteto Ned, vivido por Otávio Martins, seu sócio Theo, interpretado por Petrônio Gontijo e a noiva Lina, encenada por Carolina Ferraz.

priscila-prade-29

Neste momento é revelado um triângulo amoroso entre o pai dos protagonistas, seu sócio e sua mulher, o que traz, aos poucos, as respostas para as questões levantadas pelos filhos em 1995.

A impressão do diretor e grande apresentador Jô Soares é que toda peça requer entrega absoluta entre os atores envolvidos nas cenas, ainda mais em um roteiro intenso como este.

O espetáculo ficará em cartaz até o dia 16 de dezembro de 2013, no teatro Raul Cortez.

download

Sobre o Editor

Renniê Paro

Jornalista, assessora de comunicação e poetisa nas horas vagas. Amante de esportes, principalmente artes marciais. Última paixão? O boxe. Encaro os treinamentos como encaro a vida: de frente, sem medo. Unindo a força à inteligência. Teatro, cinema e livros são paixões. Amigos? Poucos e bons, sempre por perto. Família é a base de tudo. A vida? Uma verdadeira diversão, repleta de possibilidades

Número de Postagens : 304

Matraca Cultural © 2012 Todos os direitos reservados.

Scroll to top