You Are Here: Home » Editorias » Cinema » Sem surpresas, “Birdman” encerra festa do Oscar com prêmio de Melhor Filme

Sem surpresas, “Birdman” encerra festa do Oscar com prêmio de Melhor Filme

Por Mariana da Cruz Mascarenhas

Junto com o “Grande Hotel Budapeste”, produção liderou o número de estatuetas vencendo em quatro indicações

Oscar 2015 (II)

Não foi novidade e muito menos uma surpresa quando o ator Sean Penn anunciou, na noite deste domingo (22), uma das premiações mais aguardadas todos os anos na história do mercado cinematográfico: o Oscar de Melhor Filme. Liderando o número de indicações (9), a produção Birdman foi a grande premiada da noite, encerrando a 87ª festa de premiações da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, ocorrida no Dolby Theatre, em Los Angeles.

Além do prêmio principal, Birdman também levou o Oscar de Melhor Diretor (Alexandre González Iñarritu), Melhor Roteiro Original e Melhor Fotografia. Premiações essas que também não se revelaram nenhuma surpresa, já que o longa veio como um forte candidato e se destacou de seus concorrentes ao se mostrar bastante criativo na forma como contou sua história, acompanhada de um verdadeiro jogo de câmeras e planos-sequência – que nos remete à genialidade do trabalho do cineasta Alfred Hitchcok (1899 – 1980), além da envolvente atuação do elenco.

Apesar de ter levado as principais estatuetas da Academia, Birdman não liderou sozinho como a produção mais premiada da noite. O Grande Hotel Budapeste – que também liderou em indicações (9) – recebeu quatro prêmios: Melhor Design de Produção (antigamente denominado como Direção de Arte), Melhor Maquiagem, Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora. Mais uma vez as premiações não se revelaram surpreendentes, pois a produção de Wes Anderson trouxe para os telões uma história inusitada e ao mesmo tempo encantadora, que ganhou ainda mais destaque com a vivacidade de cores utilizadas nos cenários e figurinos, os quais por si só já contam muito sobre a trama.

Mas o tão aclamado pelos americanos, Boyhood – da Infância à Juventude, que inclusive conquistou o Globo de Ouro de Melhor Filme Dramático e teve seis indicações ao Oscar, levou apenas uma estatueta de Melhor Atriz Coadjuvante para Patrícia Arquette, que fez por merecê-la ao praticamente carregar a produção nas costas. A trama foi muito comentada por ter levado 12 anos para ser concluída, já que o diretor Richard Linklater quis filmar o crescimento e amadurecimento dos atores em cena na interpretação de seus personagens, porém trouxe uma história rotineira e cujas quase três horas de duração tornou-se extensa e cansativa – o que pode ter justificado apenas uma premiação.

Whiplash: Em Busca da Perfeição – que conta a história de um garoto baterista fortemente pressionado pelo seu instrutor, que o humilha e jamais o elogia na tentativa de transformá-lo no melhor – também teve seus momentos de glória na noite do Oscar ao levar as merecidas estatuetas de Melhor Ator Coadjuvante (J. K. Simmons), Melhor Edição e Melhor Mixagem de Som.

Já o prêmio de Melhor Ator foi entregue para o jovem Eddie Redmayne em sua primeira indicação ao Oscar. Ele encarou com perfeição a atuação de um dos mais renomados físicos da atualidade, Stephen Hawking, em A Teoria de Tudo e, assim como Patrícia Arquette em Boyhood, carregou a produção nas costas.

Como já esperado, Julianne Moore foi quem levou a estatueta de Melhor Atriz por sua atuação em Para Sempre Alice, onde ela interpreta uma mulher acometida pelo Mal de Alzheimer. A produção tem previsão de estreia no Brasil em 12 de março de 2015.

J.K. Simmons , Patricia Arquette, Julianne Moore  and Eddie Redmayne pose with their Oscars backstage  at the 87th Academy Awards in Hollywood, CaliforniaDa esquerda para a direita: J.K Simmons, Patricia Arquette, Julianne Moore e Eddie Redmayne 

Neste ano, o ator Neil Patrick Harris foi o escolhido para apresentar a premiação do Oscar 2015. Apesar de sua abertura memorável na cerimônia – que ao contrário dos anos anteriores foi marcada neste por um número musical em homenagem a grandes gênios e obras do cinema – seu desempenho foi fraco e muitas de suas piadas mal arrancaram risadas da plateia.

Outros momentos memoráveis da festa foram a presença de Lady Gaga cantando The Sound of the Music – a canção de A Noviça Rebelde, cuja protagonista Julie Andrews, hoje com 79 anos, também esteve presente no palco do Dolby Theatre – e a apresentação da canção Glory, do filme Selma – Uma Luta Pela Igualdade – que ganhou o Oscar de Melhor Canção Original e foi aplaudida em pé, arrancando lágrimas de muitos atores e atrizes presentes na plateia.

Selma retrata a luta de Martin Luther King para que os negros tivessem um lugar digno na sociedade e fossem respeitados. A história se passa na cidade de Selma, no Alabama. O fato do filme ter concorrido apenas nas categorias Melhor Canção e Melhor Filme levantou queixas de alguns críticos, que disseram que tal produção poderia ter tido destaque muito maior.

Confira abaixo a lista completa dos ganhadores do Oscar 2015:

Melhor Filme: Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) 

Melhor Diretor: Alejandro Gonzáles Iñarritu (Birdman)

Melhor Ator: Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

Melhor Atriz: Julianne Moore (Para Sempre Alice)

Melhor Ator Coadjuvante: J. K. Simmons (Whiplash – Em Busca da Perfeição)

Melhor Atriz Coadjuvante: Patrícia Arquette (Boyhood – Da Infância à Juventude)

Melhor Roteiro Original: Birdman

Melhor Roteiro Adaptado: O Jogo da Imitação

Melhor Filme Estrangeiro: Ida (Polônia)

Melhor Animação: Operação Big Hero

Melhor Documentário: Citizenfour

Melhor Canção Original: “Glory” (Selma)

Melhor Trilha Sonora Original: O Grande Hotel Budapeste

Melhor Direção de Fotografia: Emmanuel Lubezki (Birdman)

Melhor Edição: Whiplash – Em Busca da Perfeição

Melhor Figurino: O Grande Hotel Budapeste

Melhor Maquiagem e Penteado: O Grande Hotel Budapeste

Melhor Direção de Arte: O Grande Hotel Budapeste

Melhor Mixagem de Som: Whiplash – Em Busca da Perfeição

Melhor Edição de Som: Sniper Americano

Melhores Efeitos Visuais: Interestelar

Melhor Curta-Metragem: The Phone Call

Melhor Curta-Metragem de Documentário: Crisis Hotline: Veterans Press 1

Melhor Curta-Metragem de Animação: O Banquete 

Sobre o Editor

Mariana Mascarenhas

Formada em Jornalismo, especialista em Comunicação Organizacional, trabalho atualmente como Assessora de Comunicação. Também concluí cursos de Linguagem Cinematográfica, Teatro e TV, Designer, Fotografia Digital, entre outros. Sou apaixonada por cultura, principalmente por cinema, teatro e exposição, e adoro analisar os filmes, peças e mostras que vejo. Contato: mariana@matracacultural.com.br

Número de Postagens : 208

Matraca Cultural © 2012 Todos os direitos reservados.

Scroll to top