You Are Here: Home » Editorias » Cinema » Quando seu sonho é roubado

Quando seu sonho é roubado

Por Cláudia Brandão-Masters

Dirty DancingFoto: Divulgação

Sim, começo já com drama e com uma simples pergunta: por quê? Preciso escrever para conseguir esta resposta!

Aviso – sou melodramática por natureza e então pode não fazer sentido nenhum para vocês, mas a minha indignação é devido ao remake do filme “Dirty Dancing”.

Vamos no comecinho?! Dirty Dancing é o meu filme preferido (tipo três filmes que você levaria para uma ilha deserta / filme que eu assisto todo o santo mês / se eu tivesse que escolher um filme para ver o resto da vida! Falei que sou intensa, gente!) e então quando soube da notícia de que seria feito um remake, fiquei bem feliz. Gosto muito do original e talvez por isso queria ver como seria uma Baby mais moderna e um outro Johnny Castle. Fiquei imaginando como seria a dança final ou a eterna frese “nobody puts baby in the corner”…

Tempo passou e começaram a ser publicadas notícias sobre os atores, cenas e ensaios. Gostei logo da Penny, da Lisa e do Johnny (nome dos personagens). Baby (Abigail Breslin) veio logo depois e fiquei surpresa, mas acreditei que seria legal. Ela já é bem conhecida do público e pensei que seria uma boa para as novas gerações conhecerem o filme. Pensei: “o povo vê o remake e vai querer ver o original”, pontos para a produção!

Duas palavras – NÃO e NÃO! Como assim? Já deu para perceber que eu não gostei?! Não foi só não gostar, foi o destruir de um sonho (drama queen alert! Eu avisei!).

 

Posso ajudar e dividir por cenas:

- logo no comecinho fiquei feliz, porque o filme começa com a Baby mais velha e na minha cabeça pensei “sim, começam com o depois e vão mostrar que ela está com ele…”. Nada, não mostra nada!

- o que é a dança final??!? Gente, como assim eles dançam tão pouco juntos? E outra, no filme original só no final é que os companheiros de dançam se juntam, no remake não, o povo rouba logo a cena;

- eles não acabam juntos! Whhhhaaaaat? Se eles queriam colocar uma passagem do tempo, tudo bem, mas não é justo eles roubarem esse momento. Para mim, eles estavam juntos até hoje, velhinhos e dançando! No remake? Eles não estão juntos e ela está casada com outro e tem uma filha com ele. Como assim? Socorro!

 

Ok, também teve partes boas:

- Penny (Nicole Scherzinger) é incrível;

- gostei que colocaram a Lisa derrubando barreiras (racistas) e não colocaram ela como uma tonta (como no filme original);

- “I carried a watermelon”, amei que não mudaram nada dessa cena…

Mas ficamos por aí! Foi uma grande desilusão e fiquei bem triste por terem destruído o filme. Eu esperava muito mais e, acima de tudo, eu esperava que quem visse o remake, ficasse com vontade de ver o filme original… e garanto que não é essa a sensação!

Eu sei que um remake não é suposto ser igualzinho. Mas gente, não precisa ser tão diferente né?

Pronto, falei!

Sobre o Editor

Cláudia Brandão-Masters

Nasci portuguesa mas morei toda a minha vida na China me sentindo brasileira. Sou noveleira a 200%, amo seriados e vivo para ver, ler e sempre saber mais sobre esse mundo. Sou jornalista de formação, assessora de comunicação por vocação, bailarina por paixão e noveleira pela vida! Corro pelo mundo, sempre com os pés na terra e asas na mão.

Número de Postagens : 7

Matraca Cultural © 2012 Todos os direitos reservados.

Scroll to top