You Are Here: Home » Editorias » Música » Paul McCartney emociona público paulistano no último dia de show no Brasil

Paul McCartney emociona público paulistano no último dia de show no Brasil

Por Antonio Saturnino

*Foto: Marcos Hermes – Agência Lens

paul_mccartney_sp_dia_2_show_fotos_a_marcos_hermes_ag_lens_divulgac__a__o-4

Com duas noites seguidas de shows em São Paulo, o cantor Paul McCartney encerrou a passagem da turnê “Out There” pelo Brasil. No repertório estavam canções de seu novo trabalho, bem como sucessos da sua carreira solo e dos Beatles. As apresentações aconteceram no Allianz Parque, e tiveram lotação máxima em ambas as datas. No total foram cerca de 90 mil pessoas, que não se intimidaram em nenhum momento com a forte chuva que caiu na cidade nos últimos dias.

Na última noite, o show teve início com cerca de 45 minutos de atraso (pontualidade britânica com margem de erro), compensados com quase 3h de espetáculo. Quando Paul subiu no palco, ninguém mais se lembrou da demora, do trânsito na região ou da chuva. Já tinha valido a pena estar ali. Mostrando simpatia digna de um rock star, ele agradeceu em bom português: “Obrigado! Hoje eu vou tentar falar um pouco ‘de’ português. Mas meu inglês é muito melhor”.

Durante “Blackbird”, uma lua enorme foi projetada no telão, enquanto a plataforma na qual o ex-Beatle estava foi erguida, criando um lindo visual. Em “Let it Be”, acompanhada em coro, o público utilizou a tecnologia para criar o efeito que, nas décadas de 80 e 90, era obtido com isqueiros. Em todo estádio era possível ver inúmeros pontos de luz vindos de celulares. Neste momento, à frente do plalco, alguns fãs ergueram balões vermelhos em forma de coração e cartazes com os dizeres: “Love is All That Matters (Amor é Tudo que Importa)”.

“Live and Let Die” foi o ponto mais alto da noite, com um show de solo de guitarras, fogos de artifício, e explosões de labaredas no palco. Novamente em português, ele completou: “Irado! É ‘nóis’!”. Se a canção mencionada foi o ápice em se tratando de efeitos especiais e energia, “Hey Jude”, que encerrou a primeira parte, também acompanhada em uníssono, foi o momento mais emocionante. Por todos os lados era possível ver pessoas com lágrimas nos olhos.

Sir McCartney retornou para o bis segurando uma bandeira do Brasil e, dentre as canções apresentadas neste retorno, cantou “Get Back” e “I saw her standing there”. Quando o público começou a se retirar, ele voltou ao palco para um segundo bis e cantou mais três canções, uma delas garantiu mais um momento de lágrimas, “Yesterday”.

Foi um show que, enquanto a chuva lavava o corpo, a música lavava a alma.

Sobre o Editor

Antonio Saturnino

Atleta frustrado, jornalista por formação e "cantor" de karaokê nas horas vagas. Sou apaixonado pelas diversas manifestações artísticas, porém com uma relação mais íntima com a música. É ela quem dá ritmo à minha vida e se encarrega de escolher a trilha sonora adequada para cada momento.

Número de Postagens : 374

Matraca Cultural © 2012 Todos os direitos reservados.

Scroll to top