You Are Here: Home » Editorias » Teatro » Nossa neura de cada dia

Nossa neura de cada dia

Por Carine Mota

Neura

A peça Neura, é ideal para os dias atuais, em que a maioria das pessoas está estressada, depressiva, carente e solitária, ou sente um vazio mesmo em meio a lotação de transportes públicos e trânsitos caóticos. O espetáculo ficou em cartaz durante o mês de janeiro, no Teatro Gazeta, e teve sua última apresentação no último domingo, 19 de fevereiro. A comédia reuniu esquetes que trataram com muito humor as neuroses que cercam o nosso dia a dia. Escrito e dirigido por Regiana Antonini, o espetáculo contou com a atuação de cinco atores que encararam a missão de interpretar seus papeis com muita desenvoltura e humor.

Durante a peça, os cinco personagens aparecem aleatoriamente para encenar os esquetes, mostrando como os seres humanos devem controlar suas neuroses e desejos. Os temas são: Enxaqueca, no qual a personagem começa a surtar em uma farmácia achando que sua dor de cabeça que não passa há dias pode resultar em um aneurisma cerebral, como aconteceu com a prima de seu amigo. Outro tema é TOC X TPM, com duas amigas que são interpretadas pelos atores Marcio Lima e Leo Castro, que vão a um restaurante e por diversos motivos ficam constantemente mudando de mesa. Impossível não rir da atuação desses figuras. O terceiro esquete é Ou o Mengão Ou Eu, quando uma namorada briga com o namorado que prefere ver a final do jogo do Flamengo a sair para comemorar os oito anos de namoro. O quarto é sobre O Primeiro Encontro, que retrata a cena de dois jovens que estão marcando um encontro através de um aplicativo de “pegação”, mas após conselhos de seus amigos ficam analisando as mensagens trocadas e surge a neura, fazendo com que ambos desmarquem. O quinto é Elevador, onde várias pessoas têm que entrar, mas ele está lotado. Começam várias discussões sobre o medo de caírem, preconceitos e diversos problemas, principalmente quando o elevador começa a fazer ruídos. O último é O Tracinho Azul, onde um empresário está conversando com seu colega de trabalho e manda uma mensagem via WhatsApp para sua mulher por engano, pois era para a sua amante e começa a surtar com a burrada.

O espetáculo tem uma linguagem simples e divertida e traz atores que se desdobram em vários personagens. Na certa, o público se identifica, notando que isso acontece com ele mesmo ou com alguém com quem convive. E, mais ainda, se diverte muito com a encenação de todas essas neuras que cercam nossas vidas. Uma apresentação que você assiste sem neura de morrer de rir!

Sobre o Editor

Carine Mota

Jornalista, 26 anos, trabalho na área de assessoria de imprensa. Curto peças de teatro engraçadas e filmes de comédia romântica. Workout! Gosto de fazer musculação, dançar, correr, ler um bom livro e viajar pelo mundo. Vivo a vida de um jeito saudável e leve.

Número de Postagens : 4

Matraca Cultural © 2012 Todos os direitos reservados.

Scroll to top