You Are Here: Home » Editorias » Música » Filipe Catto, um talento singular da nova geração da música brasileira

Filipe Catto, um talento singular da nova geração da música brasileira

Por Antonio Saturnino

Se tem uma que tenho aprendido, é me permitir ser surpreendido pelo novo… Com esse objetivo em mente, fui assistir ao show do cantor Filipe Catto no último sábado (17/03), que aconteceu no Tom Jazz pelo projeto Sons da Nova, da rádio Nova Brasil FM. Fui sem conhecer muito bem o trabalho do músico e voltei encantando com tamanho talento em um jovem de apenas 23 anos. Com uma voz singular, o contratenor demonstrou profunda educação vocal, afinação impecável, uma presença de palco marcante e um repertório riquíssimo.

Alguns críticos chegaram a considerá-lo o novo “Ney Matogrosso”, por ser um cantor com voz mais aguda, além de performático e bastante expressivo, daqueles que você recebe a mensagem da música pelos olhares e movimentos. Esta também foi minha primeira impressão, mas logo pude perceber as singularidades de seu trabalho, movimentos e interpretação. Performático, sim. Mas sem cometer exageros em sua atuação. Ele “dança” conforme a música.

Após sua música Saga ser incluída na trilha sonora de da novela “Cordel Encantado”, da Rede Globo, o cantor ganhou uma maior exposição. Mas não pensem que esta é a única faixa boa do álbum. Seu primeiro CD, Fôlego, possui uma série de belas composições e melodias que mostram que, realmente, Filipe Catto é uma das grandes promessas da nova MPB.

Além das composições próprias que apresentou no palco do Tom Jazz, Catto também interpretou canções como Garçom, de Reginaldo Rossi, com uma roupagem diferente do original, que deu um ar descolado a uma composição considerada “brega”, e fez uma bela homenagem a Elis Regina, em comemoração aos 67 anos que a cantora completaria exatamente naquela data. Fã de Elis, ele comentou que sempre evitou interpretar músicas da cantora, por estar tudo já muito bem gravado e eternizado, mas a data pedia essa lembrança. O jovem interpretou, de forma visceral, Bodas de Prata e Cão sem dono como tributo à cantora e emocionou a plateia.

Mesmo sendo um nome ainda desconhecido do grande público, Filipe Catto já tem um público fiel que o acompanha sempre. Enquanto prestava sua homenagem a Elis Regina, algumas fãs jogaram pétalas de rosas sobre o cantor. Outros atiravam botões de rosas de seus lugares, e logo o palco ganhou nova e bela decoração florida e não planejada.

Mesmo sem estar “preparado”, assistir um músico tão intenso, talentoso e inteligente me fez ganhar a noite de sábado. Para você, que ainda não conhece o trabalho do cantor, permita-se ser belamente surpreendido por ele, que está deixando de ser apenas uma promessa, para se tornar uma realidade da música brasileira.

Clique aqui para visualizar mais fotos do show.

Sobre o Editor

Antonio Saturnino

Atleta frustrado, jornalista por formação e "cantor" de karaokê nas horas vagas. Sou apaixonado pelas diversas manifestações artísticas, porém com uma relação mais íntima com a música. É ela quem dá ritmo à minha vida e se encarrega de escolher a trilha sonora adequada para cada momento.

Número de Postagens : 373

Comentários (4)

  • Antonio (Toninho)

    Muito linda sua matéria!! Estava lá e as pétalas de rosas foram homenagem dos fãs justamente por Filipe estar cantando Elis e aconteceram na musica “Bodas dei prata”. Tenho ido a todos os shows desde que o conheci e cada vez mais encantado com seu talento !

  • Rosemeri de Assis Barbosa

    Desde o primeiro momento que ouvi Fillipe Catto, amei fiquei encantada. Seja qual for o sucesso que venha atingir…pra mim não será surpresa. Bastou apenas uma vez….me apaixonei.
    Venha ao Espirito Santo…por Favor.
    abs

Matraca Cultural © 2012 Todos os direitos reservados.

Scroll to top